Artiste : Carolina Assad

Référence : GHA 126.533

Disponibilité : En stock

Prix : 15,00€
Qté :
(0 avis)   (0 avis)  |   Écrire un avis

Du fond du cœur, je remercie mon père bien-aimé de m’offrir cette occasion merveilleuse d’exprimer mon amour pour la vie, mon respect pour notre terre et mon incommensurable compassion pour les règnes animal et végétal que la folie humaine voue à un avenir inquiétant. C’est ce qui a guidé mon choix vers certaines chansons de cet album comme QUERELAS DO BRASIL, PLANETA ÁGUA, PASSAREDO et CAPITÃO dans lesquelles des poètes de talent parlent avec sincérité et simplicité de la terre, de l’eau, des semences, de la fertilité, de la faune, de la flore, de la forêt amazonienne, de notre histoire…  La beauté des mélodies et la ferveur des rythmes brésiliens ne laissent peut-être pas supposer l’importance des sujets traités aussi, les paroles de ces chansons sont-elles à votre disposition ci-dessous. N’hésitez pas à les chanter avec moi !

ESTRELA DA TERRA est une sorte de lien entre la nature et les autres thèmes de cet album, l’amour, la joie et l’espérance. Merci Lucina de m’avoir offert la primeur d’AÍ, NO CORAÇÃO. Merci Clarice pour tous ces arrangements formidables et cette merveilleuse LUA DE PARIS. 
Last but not least, que Guinga soit remercié pour m’avoir fait l’honneur et l’amitié de m’accompagner dans VOCÊ, VOCÊ, chanson dont il a écrit la musique sur un texte de Chico Buarque.

 

QUERELAS DO BRASIL - Aldir Blanc / Maurício Tapajós

O Brazil não conhece o Brasil
O Brasil nunca foi ao Brazil
Tapir, jabuti, liana, alamandra, alialaúde
Piau, ururau, aqui, ataúde
Piá, carioca, porecramecrã
Jobim akarore Jobim-açu

Pererê, câmara, tororó, olererê
Piriri, ratatá, karatê, olará

O Brazil não merece o Brasil
O Brazil ta matando o Brasil
Jereba, saci, caandrades
Cunhãs, ariranha, aranha
Sertões, Guimarães, bachianas, águas
E Marionaíma, ariraribóia,
Na aura das mãos do Jobim-açu

Jererê, sarará, cururu, olerê
Blablablá, bafafá, sururu, olará

Do Brasil, SoS ao Brasil
Do Brasil, SoS ao Brasil
Do Brasil, SoS ao Brasil

Tinhorão, urutu, sucuri
O Jobim, sabiá, bem-te-vi
Cabuçu, Cordovil, Cachambi, olerê
Madureira, Olaria e Bangu, Olará
Cascadura, Água Santa, Acari, Olerê
Ipanema e Nova Iguaçu, Olará
Do Brasil, SoS ao Brasil
Do Brasil, SoS ao Brasil

PLANETA ÁGUA - Guilherme Arantes

Água que nasce na fonte
Serena do mundo
E que abre um
Profundo grotão
Água que faz inocente
Riacho e deságua
Na corrente do ribeirão

Águas escuras dos rios
Que levam
A fertilidade ao sertão
Águas que banham aldeias
E matam a sede da população

Águas que caem das pedras
No véu das cascatas
Ronco de trovão
E depois dormem tranquilas
No leito dos lagos
No leito dos lagos

Água dos igarapés
Onde Iara, a mãe d'água
É misteriosa canção
Água que o sol evapora
Pro céu vai embora
Virar nuvens de algodão

Gotas de água da chuva
Alegre arco-íris
Sobre a plantação
Gotas de água da chuva
Tão tristes, são lágrimas
Na inundação

Águas que movem moinhos
São as mesmas águas
Que encharcam o chão
E sempre voltam humildes
Pro fundo da terra

PASSAREDO - Francis Hime / Chico Buarque

Ei, pintassilgo
Oi, pintaroxo
Melro, uirapuru
Ai, chega-e-vira
Engole-vento
Saíra, inhambu
Foge asa-branca
Vai, patativa
Tordo, tuju, tuim
Xô, tiê-sangue
Xô, tiê-fogo
Xô, rouxinol sem fim
Some, coleiro
Anda, trigueiro
Te esconde colibri
Voa, macuco
Voa, viúva
Utiariti
Bico calado
Toma cuidado
Que o homem vem aí
O homem vem aí

Ei, quero-quero
Oi, tico-tico
Anum, pardal, chapim
Xô, cotovia
Xô, ave-fria
Xô, pescador-martim
Some, rolinha
Anda, andorinha
Te esconde, bem-te-vi
Voa, bicudo
Voa, sanhaço
Vai, juriti
Bico calado
Muito cuidado
Que o homem vem aí
O homem vem aí

 

CAPITÃO - Fernando Brant / Joyce Moreno

Brasil

quem é que seria o dono da Amazônia

e por aqui quem viveria

se a Guanabara explodisse em gás e sangue?

Seria outra a nossa História.

 

Inda bem,

quem ama a vida não vai ser agora matador

quem ama a selva não vai ser agora lenhador

quem ama o índio não vai ser agora caçador

 

Brasil

teu capitão não aceita a ordem de matar

nosso capitão não aceita quem quer te entregar

o capitâo não aceita a ordem da matança

 

Inda bem,

quem ama a vida prefere o ofício de salvar

quem ama a terra prefere o ofício de sonhar

quem ama mesmo prefere o ofício de amar

 

Brasil

teu capitão não aceita a ordem de matar

nosso capitão não aceita quem quer te entregar

o capitão não aceita a morte da esperança

 

ESTRELA DA TERRA - Paulo César Pinheiro / Dori Caymmi

Por mais que haja dor e agonia
Por mais que haja treva sombria
Existe uma luz que é uma guia
Fincada no azul da amplidão
É o claro da estrela do dia
Sobre a Terra da Promissão

Por mais que a canção faça alarde
Por mais que o cristão se acovarde
Existe uma chama que arde
E que não se apaga mais não
É o brilho da estrela da tarde
Na boina do meu capitão

E a gente rebenta do peito a corrente
Com a ponta da lâmina ardente
Da estrela da palma da mão

Por mais que a paixão não se afoite
Por mais que a minh'alma se amoite
Existe um clarão que é um açoite
Mais forte e maior que a paixão
É o raio da estrela da noite
Cravada no meu coração

E a gente já prepara o chão pra semente
Pra vinda da estrela cadente
Que vai florescer o sertão

E bloco da lenda se encerra
Virá o cavaleiro de guerra
Cantando no alto da serra
Montado no seu alazão
Trazendo a estrela na Terra
Sinal de uma nova estação

 

Écrire un avis

Note : Le HTML n’est pas pris en charge !

Évaluation : Mauvais Bon

Saisir le code ci-dessous :

No Compositeur Titre Commentaires Durée Extraits
1 Aldir Blanc/Maurício Tapajós Querelas do Brasil All arrangements by Clarice Assad 02:57
 
2 Guilherme Arantes Planeta agua   04:29
 
3 Francis Hime/Chico Buarque Passaredo   03:07
 
4 Fernando Brant/Joyce Moreno Capitão   04:28
 
5 Paulo César Pinheiro/Dori Caymmi Estrela da terra   03:03
 
6 Clarice Assad/ Daniel Basílio Lua de Paris   03:10
 
7 Lucina Carvalho/Aloísio Brandão Aí, no coração     04:34
 
8 Guinga/Chico Buarque Você, você Special participation of Guinga 03:53